+55 84 3207 1069
Siga-nos
  • Português

Blog de Automação Industrial da Logique

  • Início
  • Blog
  • Conheça 5 mitos sobre o Gerenciamento de Alarmes

Conheça 5 mitos sobre o Gerenciamento de Alarmes

Entre tantas transformações que a área de gerenciamento de alarmes passou, dúvidas e mitos acabam surgindo. Vem aprender mais e desvendar essas lendas!

Um dos assuntos que mais abordamos neste blog é o Gerenciamento de Alarmes. Não poderia ser diferente. Além de ser uma área extremamente importante para segurança e eficiência de várias indústrias, está sempre evoluindo e se reinventando.

Devido a esta constante mudança, é comum que as pessoas possam ficar perdidas no meio de tantas transformações. Assim sendo, prepare-se para entender melhor sobre essa área e, acima de tudo, desmistificar algumas compreensões erradas que podemos absorver.

 

Do que se trata o Gerenciamento de Alarmes

Antes de qualquer coisa é importante que saibamos sobre o que trataremos neste artigo. Portanto, nesse momento vamos resgatar alguns termos e definições comuns ao gerenciamento de alarmes. 

Caso queira se aprofundar mais no assunto pode dar uma conferida nesses conteúdos: O que é gerenciamento de alarmes e Guia básico de filosofia de alarmes.

Primeiramente iremos falar sobre o conceito de Gerenciamento de alarmes. O gerenciamento de alarmes não se trata apenas de monitoramento, mas engloba todo o ciclo de vida de um sistema de alarmes.

Ele irá atuar definindo regras para projetos de alarmes, como setpoints (pontos chave do processo), métricas para monitoramento e até estratégias avançadas para melhoria de produtividade e segurança da planta. 

Em segundo lugar, para termos uma noção maior sobre gerenciamento de alarmes, precisamos entender que, este conceito vai além da utilização de um software de gerenciamento, mas implica na criação de uma filosofia de alarmes que, de acordo com a norma ANSI/ISA 18.2 (2016) pode ser definida como:

“Documento que estabelece as definições básicas, princípios e processos para projetar, implementar e manter um sistema de alarme”.

Contudo, a filosofia de alarmes não se trata apenas de um documento. Ela é a estrutura base para definir todo ciclo de vida do gerenciamento de alarmes. A criação desta filosofia interna será o principal processo para adaptar o sistema de gerenciamento de alarmes para sua realidade.

Ela deve prover elementos como: atribuição de prioridades de alarmes, auditoria, gerenciamento de mudanças, papéis e responsabilidades, etc. 

 

Os mitos sobre o gerenciamento de alarmes

Agora que estamos um pouco mais familiarizados com esse setor, vamos entender algumas construções comuns e equivocadas com as quais às vezes nos deparamos.

Vamos aproveitar essas construções para, além de corrigi-las, aprender mais sobre algumas das facetas que envolvem o gerenciamento de alarmes. E já vamos começar com um clássico!

 

“Os equipamentos são caros”

Trata-se de um erro muito comum entre as pessoas. Devido à mídia, é comum pensarmos que serviços dentro da área de tecnologia envolvam máquinas superpoderosas e salas com incontáveis computadores.

Mas na verdade é bem mais simples do que isso. Tudo que você precisa para implementar um sistema de gestão de alarmes é:

  • Um computador comum para servir como central de gerenciamento;
  • Um sistema de alarmes pré-existente para ser integrado;
  • Uma filosofia de gerenciamento de alarmes.

 

Como já é bem comum que as empresas possuam computadores disponíveis atuando como servidores, geralmente não há necessidade de comprar máquinas novas para dedicação exclusiva ao gerenciamento de alarmes. 

Além disso, também não é preciso reinstalar ou alterar fisicamente seu sistema de alarmes para realizar o processo. O sistema já existente irá apenas se adequar à nova abordagem.

Portanto, não é necessário comprar nenhum equipamento (muito menos um caro) para instalação de um sistema de gerenciamento de alarmes.

 

“Para operar é necessário um especialista”

Esse mito não está de todo errado. O errado aqui é o peso que as pessoas levam na palavra “especialista”. 

É necessário sim que exista alguém responsável e que saiba manusear bem a ferramenta de gestão. Porém, essa pessoa não precisa ser um novo funcionário ou, necessariamente ter uma formação específica para lidar com a ferramenta de gerenciamento de alarmes. 

O mais relevante aqui é que, a pessoa responsável tenha um conhecimento prévio da planta industrial bem como do processo onde o sistema de gerenciamento de alarmes será aplicado.

Uma vez que a pessoa tenha conhecimento dos processos, ela será treinada para lidar com o sistema e para aderir à filosofia de gerenciamento de alarmes. Ambos os aprendizados são de suma importância e simples de absorver. 

É bem mais coerente ensinar para alguém que conheça seu processo sobre o gerenciamento de alarmes, do que ensinar todo o processo à alguém que domine apenas o sistema de gerenciamento de alarmes. 

 

“A manutenção é custosa e complexa”

A ideia de manutenção que estamos acostumados não é exatamente a que se aproxima desse caso. 

Estamos mais acostumados a ouvir esse termo quando algum equipamento para de funcionar ou quando nosso carro quebra. Mas com o gerenciamento de alarmes esse termo toma outro significado. 

Nesse sentido, a manutenção do sistema tende a ter um teor de adaptação e adequação que é feita de forma contínua.

Isso ocorre para que, a filosofia de gerenciamento de alarmes e a realidade do processo estejam alinhados e, assim, os mesmos funcionem de forma conjunta e eficiente.

Isso é feito definindo-se as particularidades da planta industrial dentro do sistema de alarmes. O processo é feito da seguinte forma seguinte forma:

    • Definindo setpoint (valor de ajuste para um sistema de controle, no caso de alarmes são valores onde o alarme deverá soar) para cada processo mapeado;
    • Definição de limites críticos para configuração de alarmes e eventos. Assim buscando efetivar as ativações e diminuir ruídos no registro do sistema, bem como aumentar a eficiência do trabalho do operador.

 

“Não preciso investir em gerenciamento de alarmes pois minha empresa nunca teve um acidente”

Existem duas inverdades nesse mito. A primeira e mais evidente é pensar que sua empresa, por nunca ter sofrido com acidentes, estará segura para sempre. 

O ambiente industrial está sempre sujeito a riscos, independentemente do histórico de acidentes é preciso se precaver. 

A segunda inverdade presente nesse mito é que o sistema de gerenciamento de alarmes serve apenas para evitar acidentes na empresa. Apesar de ser parte integral da ferramenta, este não é o único benefício do sistema de gerenciamento de alarmes.

O sistema de gerenciamento de alarmes pode garantir uma eficiência energética e uma maior constância na produção da planta. 

Através de uma boa gestão de alarmes a planta industrial consegue produzir de maneira constante por mais tempo. Evita-se assim os gastos financeiros e produtivos causados por paradas não programadas devido a alarmes falsos ou dispensáveis.  

 

“O gerenciamento de alarmes irá evidenciar todos os erros e prejudicar minha imagem”

A função de um sistema de gerenciamento de alarmes não é fiscalizar e punir os erros dos operadores. Muito pelo contrário. Uma vez devidamente instalado o sistema de gerenciamento poderá diminuir o tempo perdido lidando com erros secundários.

Quando não há um sistema de alarmes, o operador da planta perde bem mais tempo resolvendo os problemas que parecem mais urgentes e “apagando incêndios” sem haver certeza da eficiência das ações tomadas por ele. 

Não é incomum que um operador de uma planta sem um gerenciamento adequado perca horas tentando atacar um problema através de uma abordagem infrutífera. 

Com um sistema de gerenciamento de alarmes é possível ter uma ideia geral das condições do processo e tomar ações mais eficientes e assertivas para lidar com os problemas.

Dessa forma, as ações corretivas se tornam menos comuns e os erros cometidos pelos operadores quase inexistentes. 

Uma vez que se tem uma visão eficiente do processo, o número de erros e acidentes naturalmente cai.

 

Estamos entendidos quanto ao gerenciamento de alarmes?

Chegamos ao final de mais um conteúdo! Espero que você tenha entendido um pouco mais sobre o gerenciamento de alarmes e, principalmente, o que ele não é.

Caso tenha gostado do assunto e queira se aprofundar mais, aqui vai uma dica! Dá uma olhada no nosso eBook completo sobre o gerenciamento de alarmes, só clicar aqui!

E se tiver restado alguma dúvida ou curiosidade sobre o assunto, sinta-se à vontade para mandar um e-mail para danilo.xavier@logiquesistemas.com.br. Será um prazer enorme te ajudar!


Postado por Danilo Xavier

Um pouco sobre o autor (a): Engenheiro Químico em formação, apaixonado por aprender de tudo e por explorar a tecnologia.


Postagens relacionadas


Receba o nosso feed

Fique por dentro das novidades

Prometemos não enviar spam.
© 2016. «Logique Sistemas». Todos os direitos reservados