+55 84 3207 1069
Siga-nos
  • Português

Blog de Automação Industrial da Logique

  • Início
  • Blog
  • Aplicações do gerenciamento de alarmes na indústria do petróleo

Aplicações do gerenciamento de alarmes na indústria do petróleo

Entenda mais sobre uma das indústrias que mais crescem no mercado mundial e como a gestão de alarmes pode potencializar a sua eficiência

O gerenciamento de alarmes na indústria de petróleo não é uma preocupação nova. Alarmes industriais são fundamentais e imprescindíveis para a manutenção da segurança operacional, assim como da saúde de processos industriais complexos.

Ao passo que foram descobertas as utilidades do petróleo, a importância dessa indústria crescia, lado a lado com os riscos e a complexidade dos seus processos.

Nesse cenário, vamos entender um pouco mais como funciona essa indústria e como um gerenciamento de alarmes eficiente pode atuar nela.

 

Como funciona a indústria de petróleo?

Olhando objetivamente os processos que envolvem a indústria de petróleo, podemos criar um fluxo para entender o funcionamento dela.

O processo inicial é o de perfuração. Nesta fase são perfurados os poços de petróleo e deles é extraído o petróleo bruto, usado nos demais processos da indústria.

Além do petróleo bruto, também é extraído gás natural e água produzida (água que é arrastada junto aos demais componentes).

Após a abertura dos poços, são introduzidas bombas que irão extrair o óleo bruto entremeado nas rochas subterrâneas e levar para tanques de armazenamento. Do armazenamento, o petróleo é bombeado através de oleodutos até as refinarias.

Assim, ele passa por três tipos de tratamento:

  • Separação: Nessa etapa, o óleo bruto é aquecido a altas temperaturas passando por um processo de separação. A partir dessa etapa, são obtidos recursos como o diesel, querosene, gasolina e GLP (gás liquefeito de petróleo), além de frações mais pesadas;
  • Conversão: Aqui, as frações mais pesadas passam por processos que diminuem sua densidade e tornam elas mais leves, aumentando assim o aproveitamento do petróleo;
  • Tratamento: Esta é a etapa na qual se busca baixar os índices de enxofre presentes nas demais frações, para aumentar a eficiência dos subprodutos.

Por fim, os produtos são então encaminhados para diversas distribuidoras gerando os mais diversos derivados, tais como plásticos, querosene, solventes etc.

 

Noções Iniciais

As indústrias de alta tecnologia, como a do petróleo, precisam garantir de forma eficiente a segurança dos seus funcionários. 

Sendo uma indústria onde centenas de processos ocorrem simultaneamente, todos os erros devem ser detectados, corrigidos e classificados. Como veremos, o gerenciamento de alarmes pode salvar vidas.

Além disso, o gerenciamento de alarmes ajuda a administrar os riscos administrativos e financeiros, tais como as obrigações frente às legislações ambientais e a manutenção do bom estado dos equipamentos.

Assim sendo, podemos citar alguns dos principais pontos de aperfeiçoamento trazidos pela gestão eficaz de alarmes, são eles:

  • Evitar incêndios, vazamentos de substâncias químicas ou até mesmo explosões;
  • Avaliação preventiva das estruturas;
  • Monitorar, gerir e documentar os índices de parâmetros relevantes para a empresa de maneira clara e demonstrativa;
  • Riscos de exposição à radiação ou ruídos.

Esteja sempre atento para monitorar as boas práticas de gestão de alarmes junto das legislações vigentes, tais como a EEMUA 191 ou a ISA 18.2!

 

Gestão de alarmes – Histórico e acidentes

A refinaria Texaco foi atingida por um raio e após uma série de eventos acabou explodindo em 1994. Será que uma boa gestão de alarmes poderia ter mudado essa história?

Ao ser atingida pelo raio, o sistema de alarmes utilizado pela empresa começou a gerar um total de dois alarmes a cada segundo. Com essa quantidade de alarmes os operadores viam-se impossibilitados de tomar providências. 

Para piorar, 87% dos alarmes eram de alta prioridade e a interface do sistema não contribuía para uma tomada de decisão eficaz. Para saber mais sobre priorização de alarmes, confira nosso conteúdo aqui.

Todo incidente, que durou cerca de cinco horas, gerou por volta de 48 milhões de libras entre multas e danos materiais. Contudo, isso poderia ter sido evitado com uma gestão de alarmes que gerasse a compreensão da situação.

Portanto, a má administração de alarmes por parte da refinaria acabou por tornar ainda mais catastrófica a situação problemática. Não basta apenas ter um sistema de gestão de alarmes, ele precisa ser eficiente.

 

Para que serve o gerenciamento de alarmes na indústria de petróleo?

Além de garantir a segurança administrava, um bom gerenciamento pode prevenir que acidentes atrasem sua produção. E, principalmente, garante a proteção dos funcionários da empresa.

Assim sendo, vamos falar mais como o gerenciamento de alarmes na indústria do petróleo pode funcionar!

 

Monitoramento dos poços de extração

Primeiramente, falaremos a respeito do começo de todo processo, os poços. Neles, é importante sempre monitorar o volume de óleo bruto que ainda está disponível e por isso sensores ultrassônicos e de pressão são fundamentais.

Uma das funções mais importantes dos sensores e alarmes dentro dos poços de extração é coordenar quando a produtividade do poço estiver ineficiente.

Portanto, podem-se iniciar processos como a injeção de água, aumentando a pressão interna e a produtividade. Ou mesmo determinar o encerramento da extração naquela área.

Além disso, monitorar a pressão dos poços é fundamental para a proteção dos equipamentos e evitar desastres ambientais, como vazamentos e explosões. 

Analogamente, também é fundamental monitorar a situação das tubulações de transporte. 

Parâmetros como o monitoramento de pressão e temperatura podem ser fundamentais para evitar vazamentos e preservar a integridade dos demais equipamentos envolvidos no processo. 

Os equipamentos envolvidos nessa etapa de subsolo tendem a lidar com pressões enormes e temperaturas igualmente intensas. Dessa forma, devem ser constantemente monitorados em virtude da segurança do processo.

 

Monitoramento da plataforma petrolífera

Como já observamos, a principal atenção na plataforma petrolífera é o risco de incêndios. Devemos lembrar que o petróleo e seus derivados são substâncias extremamente inflamáveis, sendo assim, essa preocupação se estende a todos os setores da indústria.

Sensores de pressão e de volume se fazem mais uma vez fundamentais. Eles são necessários uma vez que monitorar a pressão e ter sistemas responsivos de alarmes, podem evitar explosões.

Já para evitar incêndios, sensores de temperatura podem evitar focos de calor. Para ilustrar, podemos nos atentar ao uso em algumas etapas do processo, tais como: A estocagem e as etapas químicas do processo.

 

Estocagem

No primeiro caso, os tanques que armazenam os produtos e subprodutos dessa indústria devem ser constantemente monitorados para o controle de volume e de pressão, já que o processo pode acabar gerando gases, aumentando os riscos de rompimento. Dessa forma, sistemas de controle de pressão dentro desse tipo de tanques são indispensáveis para a segurança.

 

Etapas químicas do processamento

Já nos casos dos processos químicos, tais como o craqueamento, destilação, hidrotratamento, coqueamento etc., deve-se atentar ao uso desse tipo de monitoramento para garantir a boa condução do processo.

Além de também produzir gases ao longo do processo, características como a temperatura e pressão podem influenciar em como a reação química irá se comportar.

Caso não haja uma boa condução a eficiência do processo e a qualidade do produto podem ser perdidos.

Além de pressão, temperatura e volume, alguns outros sensores e alarmes são imprescindíveis para garantir a segurança da produção. Tais como sensores de radiação, sensores de deformidade, sensores de nível (principalmente em plataformas flutuantes em alto mar), entre outros.

Esse tipo de sensor, junto de uma boa administração, tem como objetivo garantir a proteção dos funcionários e a adequação às normas vigentes. 

Eles podem alertar quando uma área não está segura para o trabalho ou que um equipamento importante precisa de revisão urgente pois está danificado.

Lembrando sempre que em indústrias complexas como a do petróleo, mínimos desvios ou erros podem gerar catástrofes.

Uma boa gestão de alarmes pode muito bem aumentar o lucro, a produtividade e, sem dúvidas, a segurança em uma indústria. Sendo assim, esteja sempre atento a novidades!

 

Gostou do conteúdo?

Esperamos que o nosso conteúdo tenha sido proveitoso! E que você tenha absorvido e aprendido mais sobre o gerenciamento de alarmes indústria de petróleo. 

Caso queira saber um pouco mais sobre segurança e gestão de risco, nós recomendamos esses textos aqui: SIS e HAZOP

Qualquer dúvida, experiência ou feedback, entre em contato conosco através do e-mail danilo.xavier@logiquesistemas.com.br. Estaremos satisfeitos em crescer juntos.


Postado por Danilo Xavier

Um pouco sobre o autor (a): Engenheiro Químico em formação, apaixonado por aprender de tudo e por explorar a tecnologia.


Postagens relacionadas


Receba o nosso feed

Fique por dentro das novidades

Prometemos não enviar spam.
© 2016. «Logique Sistemas». Todos os direitos reservados