+55 84 3207 1069
Siga-nos
  • Português

Blog de Automação Industrial da Logique

  • Início
  • Blog
  • Gerenciamento de alarmes na indústria química: importância e atuação

Gerenciamento de alarmes na indústria química: importância e atuação

Como o gerenciamento de alarmes pode agir e proteger a indústria química? Entenda mais sobre a atuação e gestão de alarmes nesse tipo de indústria.

A indústria de transformação têm como uma das suas principais características a diversidade. Dessa forma, o gerenciamento de alarmes na industria química é diversificado e heterogêneo.

Quase todos os processos industriais que operam diariamente em diversos empreendimentos têm direta ou indiretamente a influência desse ramo industrial.

Porém, antes de mais nada, é importante saber quais os ramos de indústrias que se encaixam nessa definição. As indústrias químicas são aquelas que, através de processos químicos, formam, renovam, separam ou destroem substâncias.

Os principais ramos que são colocados nessa categoria são:

  • Bebidas;
  • Farmacêutico;
  • Têxtil;
  • Tratamento de metais;
  • Cosméticos;
  • Tensoativos.

 

Para abarcar a definição da ONU (Organização das Nações Unidas) a Abiquim (Associação Brasileira de Indústrias Químicas) em parceria com o IBGE categorizou os ramos industriais que podem ser considerados do ramo químico, são eles:

  • Fabricação de produtos químicos
    • Produtos químicos inorgânicos;
    • Produtos químicos orgânicos;
    • Resinas e elastômeros;
    • Fibras artificiais e sintéticas;
    • Defensivos agrícolas e desinfetantes domissanitários;
    • Sabões, detergentes, produtos de limpeza, cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal;
    • Tintas, vernizes, esmaltes, lacas e produtos afins;
    • Produtos e preparados químicos diversos.
  • Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos
    • Produtos farmoquímicos
    • Produtos farmacêuticos

 

Para ler o Documento oficial completo clique aqui.

 

A preocupação com os alarmes da indústria química

Com o avanço da tecnologia de monitoramento (sensores cada vez mais específicos e especialistas) e a complexidade dos processos industriais, é bem comum que haja uma preocupação crescente pela capacidade de gerir e manter todas as informações em mãos.

Assim sendo, a situação que ocorre hoje é um excesso de dados que muitas vezes não conversam entre si. Um operador que trabalha numa planta petroquímica pode estar sujeito a até 1500 alarmes por dia.

Para entender melhor sobre o gerenciamento de avalanches de alarmes dá uma olhada neste conteúdo.

 

Qual a importância do gerenciamento de alarmes na indústria química?

Os processos químicos, em sua maioria, ocorrem sob condições extremas e não-naturais de temperatura e pressão.

Assim, tomemos como exemplo um processo simples de fabricação de cimento, o processo envolve equipamentos que trabalham com temperaturas de até 1450 °C.

Dessa forma, os riscos que operadores desse setor industrial correm envolvem:

  • Inalação de gases tóxicos devido a vazamentos;
  • Risco de radiação devido a falha em isolamento;
  • Riscos de explosão devido a falha no contingenciamento de altas pressões e temperaturas;

 

Dessa maneira, além de entender bem sobre o uso de equipamentos de proteção individual é importante também aprender a gerenciar esses riscos e impedir que eles ocorram.

A boa administração de alarmes e sensores pode salvar vidas.

Sendo assim, vamos entender melhor quais os tipos de sensores mais comuns dentro da indústria química, uma indústria de alto risco e que precisa de altos níveis de segurança.

 

Gestão de alarmes e sensores na Indústria Química

Com o conhecimento da indústria química e seus principais riscos podemos entender melhor como os alarmes e sensores funcionam.

Além disso, é importante sabermos onde implementar cada um desses pontos de controle do processo.

O gerenciamento dos alarmes através de sensores e alarmes na indústria química tem como finalidade:

  • Segurança do funcionário;
  • Proteção Ambiental;
  • Conservação do equipamento;
  • Qualidade e padronização do processo;
  • Monitoramento.

 

De fato, a indústria química é uma indústria muito versátil, tendo braços em diversos ramos profissionais. Por isso, os tipos de processos que ocorrem dentro dela também são diversos.

Assim sendo, para que possamos acompanhar melhor o entendimento iremos ilustrar os processos e equipamentos mais comuns.

 

Tanque de nível

Tanque de armazenamento

Um dos equipamentos mais comuns em qualquer tipo de indústria são os tanques de nível. Seja para armazenamento, ou mesmo para agitação/reação.

O tipo de sensor mais empregado para esse tipo de equipamento é o sensor de nível volumétrico/altura de líquido.

Assim sendo, o sensor de nível volumétrico pode ser empregado em diversos equipamentos dentro desse tipo de indústria, tais como reatores e colunas de destilação, por exemplo.

O seu princípio de funcionamento se baseia em acompanhar o nível de um determinado material dentro de um tanque.

Essa medição pode ser realizada através de uma boia, porém, versões modernas do sensor contam com a medição através de ultrassom ou mesmo infravermelho, que fornece um dado mais preciso se o equipamento estiver bem configurado.

Como resultado, dentro do tanque a função desse sensor será servir um alerta para quando o nível do material contido no tanque sair de um faixa pré-configurada (setpoint).

Portanto, possibilita que alguma ação de contorno seja tomada pelo atuador.

Além disso, esse atuador poderá ser tanto um funcionário quanto algum dispositivo automático, como algum tipo de válvula, por exemplo, que ao receber o sinal do alarme irá interromper o fluxo de alimentação ou mesmo esvaziar o tanque.

 

Reatores Químicos – Reatores de reação química

Podemos afirmar que o coração de todas as indústrias química é a transformação da matéria-prima. O equipamento responsável por acomodar essa reação é o reator.

Afinal, o reator funciona como o local onde podemos controlar a temperatura, pressão e fluxo de abastecimento dos reagentes.

Além de diversas outras variáveis como a agitação e a concentração. Dessa forma, o objetivo principal desse equipamento é otimizar a eficiência da reação de transformação. Em outras palavras, fazer mais com menos.

Entretanto, para que isso possa acontecer é imprescindível que o controle das condições reacionais dentro do reator seja o melhor possível. De outra forma, a eficiência se perde e os riscos aumentam.

Entretanto, os produtos de algumas reações podem causar elevações extremas da temperatura, ou mesmo quedas abruptas.

Além disso, a expansão no volume ocupado ou mesmo na pressão interna pode acabar gerando acidentes. Para evitar isso, diversos tipos de alarmes e sensores são empregados nesse equipamento.

Além do sensor de nível volumétrico já citado temos os sensores de agitação, sensores de temperatura e pressão. O sensor de agitação pode servir tanto para averiguar se há perturbações dentro do equipamento, quanto para avaliar a velocidade de agitação.

Um exemplo prático é o da mistura de tintas. Já que é importante que a velocidade e o tempo de agitação sejam monitorados para garantir a estabilidade da mistura e eficiência do processo.

Além disso, o sensor de temperatura pode ser um simples termômetro como é utilizado em produções mais clássicas.

Porém, também pode ser um dispositivo mais tecnológico conectado com alarmes e servir como uma barreira de defesa contra acidentes.

 

A segurança no gerenciamento de alarmes na industria química

Mais que nos dizer a temperatura do processo, o sensor pode dizer se há alguma avaria na máquina.

Por exemplo, se a temperatura do processo começa a subir demais, o equipamento de aquecimento pode ser desligado e ser levado para a revisão antes de qualquer acidente.

Dessa forma, em situações mais perigosas, se o sensor de temperatura ou de pressão de um reator ou caldeira estiver registrando valores perigosos, o sistema pode automaticamente ligar um alarme para proteger a integridade dos funcionários.

 

Outros tipos de sensores e alarmes na indústria química

Phâmetro: Esse equipamento, como o próprio nome diz, serve para medir o pH, medida que serve para avaliar o nível de acidez do produto envolvido no processo.

Dessa maneira, e muito utilizado em indústrias como a farmacêutica ou a de saneantes. Acompanha a eficiência da reação química, bem como é monitorado pela maioria das legislações.

Sensor de radiação: A radiação pode ser um problema muito grande dentro da indústria. Mesmo que a indústria não costume trabalhar diretamente com materiais radioativos. Entretanto, ela pode trabalhar com equipamentos que liberam radiação.

Assim sendo, é importante acompanhar os índices de radiação dentro da indústria e ficar atento ao tipo de equipamento que você trabalha, tais como alguns tipos de motores, esterilizadores e sensores.

 

Conclusão

Novos sensores e alarmes cada vez mais modernos chegam no mercado todos os dias. Por isso é importante estar sempre atento a esses novos equipamentos e entender como eles podem ajudar sua empresa a alavancar resultados.

Os alarmes mais modernos podem dar respostas mais precisas sobre o processo, otimizando o tempo e a segurança. Porém, dados sem gestão serão apenas confusos. Esteja atento!

Portanto, o conhecimento sobre a gestão de cada tipo de alarmes dentro da sua indústria e qual a finalidade dos meus sensores também pode garantir a segurança dos seus funcionários e a estabilidade da sua empresa.

 

Gostou do conteúdo?

Esperamos que o nosso conteúdo tenha sido proveitoso! E que você tenha absorvido e aprendido mais sobre a indústria química e seus alarmes.

Qualquer dúvida, experiência ou feedback, entre em contato conosco através do e-mail danilo.xavier@logiquesistemas.com. Estaremos satisfeitos em crescer juntos.


Postado por Danilo Xavier

Um pouco sobre o autor (a): Engenheiro Químico em formação, apaixonado por aprender de tudo e por explorar a tecnologia.


Postagens relacionadas


Receba o nosso feed

Fique por dentro das novidades

Prometemos não enviar spam.
© 2016. «Logique Sistemas». Todos os direitos reservados