+55 84 3207 1069
Siga-nos
  • Português

Blog de Automação Industrial da Logique

  • Início
  • Blog
  • Descubra o que é gestão de ativos, porque essa é a grande tendência para o futuro e como começar na sua indústria

Descubra o que é gestão de ativos, porque essa é a grande tendência para o futuro e como começar na sua indústria

Veja como a gestão de ativos está atrelada a indústria 4.0 e o que você pode monitorar para otimizar a sua planta

Imagine se a gerência das indústrias tivessem acesso aos dados do chão de fábrica para tomar melhores decisões? Os engenheiros com certeza vão adorar tomar decisões que impactem diretamente no campo. Uma das formas é através da gestão de ativos.

Em uma planta, existem milhares de equipamentos e instrumentos que trabalham 24 horas por dia, sete dias na semana e o ano inteiro. A quantidade de dados gerados é inimaginável. Utilizar isso a favor é uma das tendências para o futuro da indústria 4.0.

Com o avanço da tecnologia da informação (TI) em conjunto da tecnologia da automação (TA), hoje os equipamentos de controle e instrumentação estão mais inteligentes. Eles deixaram de realizar apenas sua função primária para também gerar muitos dados.

Esses dados são referentes ao estado dos ativos e são utilizados em tomadas de decisões na manutenção, otimização de recursos e redução dos custos dos ativos.

Com isso, entendemos que a manutenção industrial tem que ser cada vez mais eficiente na gestão do ciclo de vida dos equipamentos industriais. É aqui onde entra a gestão de ativos de automação, fazendo uma conexão em todo o âmbito industrial.

Grandes players do mercado industrial já entenderam que ao fazer um levantamento de informação e do histórico dos equipamentos permite evitar muitos investimentos em manutenção e que o retorno na gestão de ativos vale a pena.

Segundo o U.S. National Response Center, em refinarias custa aproximadamente 50% mais para reparar ativos danificados do que se tivessem sido ajustados anteriormente à falha.

Além disso, “a capacidade de produção da planta é perdida em até 5% todo ano como resultado de paradas não programadas”, Asdza Nadleehe, ‘‘Engineering & Maintenance: Prevention Is Better Than Cure,” Oil & Gas IQ, October 2011.

Para você ter uma noção do quanto isso pode impactar na sua receita, sugiro a leitura do nosso artigo quantificando os benefícios do gerenciamento de alarmes. Apesar de alarmes ser apenas uma parte dos ativos, eles ainda podem causar um grande impacto.

Vamos compreender porque as indústrias estão procurando cuidar melhor dos seus ativos. Aqui nesse artigo ainda vamos falar sobre os seguintes pontos de gestão de ativos de automação:

  • O que é
  • Sistema de gestão de ativos na indústria 4.0
  • Perspectivas para o futuro
  • O que monitorar em uma planta industrial

 

O que é gestão de ativos?

Primeiramente, vamos esclarecer o que de fato é um ativo:

Um ativo se caracteriza por qualquer objeto, de natureza tangível ou intangível, que uma empresa consegue controlar.”

Alguns exemplos de ativos em uma empresa são:

  • Equipamentos de TI;
  • Contratos;
  • Equipamentos utilizados no processo de produção, caracterizando o maquinário;
  • Marcas;
  • Ferramentas e materiais;
  • Know-how.

 

A partir disso, podemos classificar a gestão de ativos de maneira geral. Segundo a ISO 55000 e a ABRAMAN, Associação Brasileira de Manutenção e Gestão de Ativos:

 

“Gestão de Ativos (GA) é a atividade coordenada de uma organização para produzir o valor dos ativos, que envolve equilibrar os benefícios de custos, riscos, oportunidades e desempenhos.”

 

Dessa forma, a gestão de ativos refere-se a gestão de todo o ciclo de vida de um ativo, desde a sua aquisição, ou criação em caso de um ativo virtual, até o seu descarte. Na gestão deve ser considerado todo o controle necessário para garantir o registro de detalhes e valores de um ativo.

 

“O objetivo da gestão de ativos é maximizar a diferença entre os benefícios e os custos de um ativo durante todo o seu ciclo de vida.”

 

Como neste artigo vamos explorar mais a gestão de ativos de automação, vamos explorar exemplos dessa área, como equipamentos e maquinários.

Por exemplo, ao gerir o ciclo de vida de uma válvula, temos que nos atentar desde o seu fornecimento como fornecedor, dados de fábrica, tempo médio de manutenção, até o descarte ideal quando não funciona mais.

 

gestão de ativos medidor de pressão

Sistema de gestão de ativos na indústria 4.0

Depois de entender o exemplo de um único instrumento, imagine esse processo em grande escala. Ou seja, o quão a indústria pode se beneficiar com o gerenciamento de todos os seus ativos?

Claramente é inviável gerir todos os ativos manualmente, por isso é necessário um sistema de gestão de ativos. Um software que consiga automatizar todo o processo e se conectar com as diversas unidades industriais (Internet das Coisas).

É aqui onde acontece o link da gestão de ativos com a indústria 4.0. A introdução da tecnologia da informação para otimização de processos na indústria convencional é a aposta das grandes indústrias para aumentarem sua competitividade no mercado.

Essa conexão de uma planta com um sistema de gerenciamento de ativos inteligente traz grandes vantagens, como:

  • Redução de paradas não programadas
  • Redução de custos de inventário
  • Redução nas paradas de produção
  • Redução de defeitos em equipamentos
  • Aumento de disponibilidade de planta
  • Aumento da eficiência da manutenção
  • Aumento da produtividade dos equipamentos

 

Perspectivas para o futuro da gestão de ativos de automação

Antes de falar do futuro da gestão de ativos, vamos entender como funciona hoje nas indústrias. Atualmente, nas indústrias existem vários sistemas diferentes que servem para gerenciar ativos diferentes.

Por exemplo, um dos sistemas é o de gerenciamento de alarmes. Como alarmes também são ativos, um sistema de gerenciamento de alarmes é capaz de coletar todos os dados brutos de alarmes, minerar e transformá-los em insights valiosos para tomadas de decisão.

Existem também sistemas de controle de processo que permitem acompanhar os diversos processos da indústria e monitorá-los para que estejam sempre com os parâmetros corretos, garantindo a qualidade final do produto.

Alguns desses sistemas, do ponto de vista de automação, que devem ser melhor integrados em um contexto industrial, são:

  • Sistema de gerenciamento de alarmes
  • Sistema de gerenciamento de malhas de controle
  • Sistema de Manutenção
  • Sistemas de gestão de instrumentos

 

Em uma perspectiva do futuro da gestão de ativos nas indústrias, o ideal é que se tenha um único sistema que seja capaz de gerenciar todos os ativos, ou que pelo menos esses sistemas sejam melhor interconectados permitindo uma gestão mais centralizada, diferentemente de hoje que se tem vários sistemas para diferentes ativos.

Por isso, a vantagem de controlar todos os ativos em um único sistema é a facilidade de uso que traz. Com todas as informações em um único lugar, cruzar essas informações traria novas visões que jamais poderiam ter sido imaginadas.

Benefícios diretos da implantação e disseminação da cultura de gestão de ativos são:

  1. Permitir manutenção preditiva baseado em dados
  2. Melhorar confiabilidade da planta
  3. Aumentar segurança do processo

 

É justamente nesse ponto onde está a inovação, pois trabalhando em áreas que nunca foram trabalhadas antes existe um enorme potencial de crescimento. Portanto, esse sistema global de gestão de ativos fará com que as empresas tenham um grande salto.

 

gestão de ativos monitoramento

O que monitorar para ter uma gestão de ativos eficiente?

Essa pergunta ainda não tem uma resposta definida e clara, mas, de maneira geral, devemos monitorar o ciclo de vida e principalmente a demanda de cada ativo para poder tirar proveito desses dados.

Abaixo, listamos algumas informações interessantes de monitorar em ativos típicos de automação:

 

1- PSV

As PSVs são válvulas mecânicas de alívio de pressão. São acionadas quando temos uma sobrepressão no equipamento que esta visa proteger.

Como são válvulas puramente mecânicas, geralmente não são instrumentadas o que torna mais complexo a detecção de suas demandas.

Para esse ativo é importante monitorar toda vez que a válvula é demandada através de inferência por meio do comportamento da pressão do equipamento monitorado.

 

2- Válvula de controle

As válvulas de controle tem a função de permitir a atuação para o controle regulatório. Nesse ativo é importante monitorar se há agarramento na válvula, se está subdimensionada ou superdimensionada, a posição média e outros relacionados.

 

3- Válvula on-off

Válvulas on-off só possuem dois estados possíveis (ligado e desligado). São válvulas utilizadas geralmente para controle on-off ou mesmo para ativação de intertravamentos. Nesse tipo de ativo, é importante monitorar todas suas movimentações, tempo de movimentação, falhas na demanda, falhas espúrias, etc.

 

4- Malha de controle

A malha de controle pode ser também considerada como um ativo. Ela é responsável pelo controle regulatório da planta.

Sendo assim, é importante monitorar número total de malhas em manual, quantidade de mudança de set-point quando em automático, quantidade de atuação no elemento final quando em manual, percentual do tempo em manual, etc.

 

5- Malha de segurança

Analogamente a malha de controle, podemos monitorar também o comportamento do ativo malha de segurança. As malhas de segurança são responsáveis pelo constante monitoramento de desvios do processo.

Caso alguma situação anormal, não tratada pelas camadas anteriores de segurança seja detectada, a malha de segurança atuará na planta de forma a levá-la para um estado seguro (normalmente desligará a planta ou parte dela).

Nesse tipo de ativo é importante monitorar todas as demandas da malha de segurança, classificar se o trip foi causado por problemas de fato de anormalidade da variável monitorada (trip real) ou por alguma falha em algum dos componentes dos sistemas que compõem a malha (trip espúrio).

É importante também manter registrado o tempo de cada trip, sua classificação, tempo entre alarme de pré-trip e trip, etc.

 

6- Sistema de alarmes

O sistema de alarme também é um ativo de automação. Assim como os demais ativos, é importante monitorar o desempenho desse ativo.

Para monitorar o desempenho do sistema de alarmes, normalmente recorremos às normas ISA 18.2 e EEMUA 191 que já estabeleceram regra claras para monitorá-los.

Indicadores como número médio de alarmes por hora por operador, distribuição de prioridade, quantidade de avalanches de alarmes, são exemplos de kpis que devem ser mensurados e acompanhados.

É sabido que normalmente esses dados já existem armazenados nas plantas industriais, por exemplo,  através do registro dos dados em historiadores de processo ou sistema de supervisão.

No entanto, normalmente são dados crus, necessitando de processamento para ter sentido. Além disso, é comum essas informações estarem fragmentadas em vários sistemas.

O papel do sistema de gestão de ativos, nesse caso, é consolidar, organizar e disponibilizar essas informações através de uma ferramenta focada, simples de interagir e que possua todos essas informações de maneira estruturada com apresentações simples através de relatórios e dashboards de acompanhamento.

 

Preparado para aumentar a competitividade da sua indústria?

Com este artigo, esperamos que você tenha uma melhor compreensão do potencial que a gestão de ativos tem para o futuro. Muitas indústrias já estão se movendo para atualizar seus equipamentos antigos por novos que permitam integrar entre si.

Como falado no começo, cerca de 5% da produção anual da planta é perdida fruto de paradas não programadas. Por isso, um sistema de gestão de ativos tem um grande potencial de crescimento através da manutenção preventiva dos ativos.

Além da manutenção preventiva, devem existir outras oportunidades de crescimento explorando dados que jamais foram imaginados antes.

Se ficou qualquer dúvida sobre gestão de ativos, fico feliz em ajudar através do matheus.romano@logiquesistemas.com.br.

Compartilhe com seus colegas que você acredita que adoraria ler esse conteúdo. Conhecimento bom é conhecimento compartilhado!


Postado por Matheus Romano

Um pouco sobre o autor (a): Graduando em Engenharia Química na UFRN e ex-diretor Comercial e de Marketing na NuTEQ, sou apaixonado por desafios, viagens, músicas e esportes. Atualmente sou responsável pelo processo de Inbound Marketing na Logique Sistemas.


Postagens relacionadas


Receba o nosso feed

Fique por dentro das novidades

Prometemos não enviar spam.
© 2016. «Logique Sistemas». Todos os direitos reservados